quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Sociedade Amiga Esportiva Jardim Copacabana (SAEC) E O Projeto Atenção Urbana

Rose Ferreira Costta
Educadora Social SAEC


Conforme previsto no Sistema Único de Assistência Social - Norma Básica de Assistência Social, compete à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) a vigilância socioassistencial que consiste no desenvolvimento da capacidade e de meios de gestão para conhecer a presença das formas de vulnerabilidade social da população e do território sob sua responsabilidade.

Este serviço se justifica pelo expressivo número de pessoas que se encontram expostas aos riscos e violência das ruas da cidade. No ano de 2000 foi realizada a primeiro Censo de Pessoas em situação de rua na cidade de São Paulo e no ano de 2003 foi realizada nova contagem que constatou a presença de 4300 pessoas vivendo nas ruas.Estima - se o aumento de 35% dessa população, ou seja, a existência de aproximadamente 5800 pessoas nesta situação, o que demandam ações do poder publico diretamente nas ruas, atendendo, encaminhando e acolhendo estas pessoas que por diversos motivos,estão morando nas ruas da cidade.Público alvo1) Adultos que ficam na rua em situação de desemprego e não tem condições de pagar pensão diariamente, ainda não se identificam com moradores de rua, mas utilizam os serviços públicos com freqüência2) Adultos que estão na rua utilizando-a como local de pernoite, estabelecem vínculos com outras pessoas na mesma situação e esporadicamente fazem bico; 3) Adultos que utilizam a rua como moradia, faz uso de álcool, drogas estando exposto a todo tipo de violência; 4) Família em situação de rua que faz da rua seu espaço de moradia, desenvolvendo atividades como esmolar e pequenos bicos para arrecadação de dinheiro; 5) Família na rua, que utiliza espaço público para ganhar dinheiro através de pequenos bicos ou esmolando, mas retorna a sua casa diariamente. Objetivo: Realizar ações pró – ativas sistemáticas e planejadas em regiões onde se verifique a concentração e permanência de pessoas adultas em situação de rua com estratégias e ações específicas, proporcionando aproximação, atendimento, acolhida e encaminhamentos necessários para estimular o desejo de deixar as ruas como espaço de sobrevivência e moradia, priorizando o convívio familiar e comunitário Objetivos específicos
Monitorar e manter vigilância social nos pontos com presença e concentração de pessoas em situação de rua, por meio de abordagens diárias, sistemáticas e planejadas;
Realizar um diagnóstico detalhado das situações de inserção na rua através de instrumental estabelecido por SMADS;
Desenvolver ações pró-ativas planejadas nas ruas, para estreitar o vínculo de confiança e estimular o desejo de saída da rua;
Garantir a inserção da pessoa em situação de rua na rede de proteção social priorizando a convivência familiar e comunitária
A metodologia de trabalho Deve contemplar os eixos da educação social de rua e a processualidade do trabalho, priorizando os aspectos da história de vida, história familiar e a história institucional,assim sendo, a Atenção Urbana consiste numa relação dinâmica, contínua e dialógica, partindo do pressuposto de que um projeto pedagógico precisa ser norteado por uma concepção de educação social que propicie a participação do sujeito na construção de um projeto de vida ético,político e coletivo. Neste sentido, estes indivíduos devem ser sujeitos ativos na construção de seu projeto de vida, o que garante a apropriação de seu processo histórico, fundamental para o êxito da ação. A finalização desta etapa se dará a partir do desenvolvimentode um plano de ação que propicie a saída das ruas, com vistas a inclusão na família, comunidade e ou rede de serviços. Um dos eixos mais importante do Projeto Atenção Urbana, é o estabelecimento de diálogo com a comunidade local(comerciantes, ambulantes e moradores dos bairros) sobre estes cidadãos sujeitos de direitos, e na compreensão da importância da sociedade na construção de saídas de ruas para espaços protegidos como a família e a comunidade de origem. Pois a inclusão e o caminho de volta, com dignidade e condições de permanência, tem na sua comunidade de origem a melhor referência para o resgate da auto-estima e de reconstrução dos projetos de vida.




Sociedade Amiga Esportiva Jardim Copacabana



As atividades do Projeto Atenção Urbana que são desenvolvidas na região central foram selecionadas por meio de Edital Público,e são participantes: Centro Integrado de Estudos e Programas de DesenvolvimentoSustentável (Cieds), Fundação Orsa,OrganizaçãoSocial Sociedade Amiga e Esportiva do Jardim Copacabana (SAEC) e a Organização Social Apoio.
Cada organização citada atua em um determinado distrito. A Organização Social Sociedade Amiga e Esportiva do Jardim Copacabana (SAEC) atua no distrito de Santa Cecília que abrange os bairros de Campos Elísios, Santa Cecília, Várzeada Barra Funda (triângulo formado entre as vias férreas da CPTM e as avenidas Abraão Ribeiro e Rudge, e parte da Vila Buarque onde estálocalizado o Largo de Santa Cecília e a estação do metrô Santa Cecília. Em seus domínios encontra-se a maior parte do Elevado Presidente Costa e Silva (vulgo Minhocão), as praças Marechal Deodoro, Princesa Isabel e Júlio Prestes e o Largo Coração de Jesus. Cada núcleo do Projeto Atenção Urbana conta com uma equipe multiprofissional composta por Gerente de Projeto, Técnicos de Nível Superior,Orientadores Socioeducativos, Agente Operacional e Auxiliares Administrativos. A equipe de educadores sociais da SAEC é composta por uma equipe multidisciplinar (psicólogos, assistentes sociais, sociólogos) com grande experiência na abordagem de pessoas em situação de rua. A Sociedade Amiga e Esportiva do Jardim Copacabana (SAEC) foi fundada em 20 de julho de 1982. A entidade nasceu para ser uma ferramenta de luta dos trabalhadores e moradores do bairro e do entorno. Esta entidade apoiou e acompanhou muitas lutas por melhores condições de vida e dignidade de seus moradores, dentre elas estão as lutas por creche,asfalto, esgoto, água, luz escolas, postos de saúde, moradia etc. Muitas destas lutas foram e continuarão sendo vitoriosas a exemplo do movimento de moradia que além de contribuir para tirarem famílias em situação de risco das favelas,contribuíram para que centenas de famílias pudessem sair do aluguel. Na região do Jardim Ângela,conquistamos 240 lotes urbanizados onde foram realizada alto-construção pelos contemplados. No Parque Europa I e II foram conquistados mais de 1200 apartamentos, sendo a primeira fase por sistema de empreiteira e a segunda fase por sistema de mutirão. Atualmente realizamos atendimento a mais de 3000 crianças e adolescentes, 800 jovens, adultos e idosos na aula de informática,280 alunos da alfabetização de jovens e adultos, 50 idosos e 30 mulheres no grupo de mulheres.


FontesFoto - http://www.panoramio.com/photo/6435580
Edital n.º 003/2006/SMADS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário